11 janeiro , 2017

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou hoje seu quarto levantamento da safra de grãos 2016/2017, que sinaliza a produção de 215,3 milhões de toneladas. O volume estimado é 15,3% ou 28,6 milhões de toneladas superior ao colhido na safra passada (186,7 milhões t), que registrou fortes quebras, devido às instabilidades climáticas provocadas pelo fenômeno El Niño. A Conab também prevê aumento de 1,3% ou 745,6 mil hectares na área cultivada, que pode chegar a 59,1 milhões de hectares.

O levantamento da Conab estima um crescimento de 8,7% na produção de soja, que pode atingir 103,8 milhões de toneladas. O aumento previsto em volume é de 8,3 milhões de toneladas. A área de soja cresceu 1,6% ou 535 mil hectares, com destaque para a região Nordeste, onde houve aumento de 284 mil hectares, para 3,162 milhão de hectares. No Piauí a área de soja ganhou mais 119,3 mil hectares (para 684 mil hectares) e no Maranhão mais 109,5 mil hectares.

Na região Norte, o plantio da soja cresceu 212,1 mil hectares para 1,788 milhão de hectares. No Pará houve expansão de 107,2 mil hectares (para 536 mil hectares) e no Tocantins de 85,3 mil hectares (para 956,1 mil hectares). No Centro-Oeste a área aumentou 205,9 mil hectares, para 15,131 milhões de hectares, com destaque para Mato Grosso, onde a soja ganhou mais 119 mil hectares e ocupa 9,259 milhões de hectares. Em Mato Grosso do Sul a expansão foi de 91,8 mil hectares, para 2,521 milhões de hectares de soja.

A soja perdeu área na região Sul. O recuo foi de 168,8 mil hectares, para 11,376 milhões de hectares. No Paraná a retração foi de 206,4 mil hectares para 5,244 milhões de hectares. A queda foi amenizada com o aumento de 38,2 mil hectares na área de soja no Rio Grande do Sul, para 5,493 milhões de hectares. A soja gaúcha depois de uma década volta a superar o plantio paranaense.

Milho

Em relação ao milho de verão (primeira safra), a Conab estima um aumento de 3,2% ou 170,8 mil hectares, para 5,585 milhões de hectares. Na região Sul o crescimento é estimado em 5,6% (89,7 mil toneladas) para 1,696 milhão de hectares. O maior expansão absoluta ocorre no Paraná (mais 77,5 mil hectares, ou 18,7%) para 491 mil hectares. Em Santa Catarina é previsto aumento de 8,2% (30,3 mil hectares) para 400 mil hectares.

Na região Nordeste o plantio do milho de primeira safra deve encolher 11,8 mil hectares, para 1,853 milhão de hectares (menos 0,6%), com destaque para a retração de 14,4% (67,8 mil hectares) no Piauí, para 403,2 mil hectares. Já na Bahia a Conab prevê aumento de 16,2% (mais 60 mil hectares) para 431,4 mil hectares. No Maranhão a queda esperada é de 4 mil hectares, para 264,4 mil hectares.

Feijão

A Conab prevê que a produção de feijão primeira safra deve atingir 1,3 milhão de toneladas, resultado 25,7% superior à safra passada, enquanto para o arroz a previsão é de 11,6 milhões de toneladas e aumento de 9,7%. Já o algodão pluma deve crescer 10,1% e chegar a 1,42 milhão de toneladas, apesar de uma redução de 5,2% na área cultivada. Os técnicos da Conab explicam que o algodão e arroz tiveram redução de área, “devido à substituição pelo cultivo de soja, o que não ocorreu com as demais culturas de primeira safra”.

Segunda safra

Em relação à safra de inverno, a Conab estima crescimento de 21,5% na produção de trigo em relação a 2015, para 6,7 milhões de toneladas. “A cevada teve crescimento de 42,5% na produção, que será de 374,8 mil toneladas graças à recuperação da produtividade. Também a canola e o triticale apresentaram aumento de área e produtividade. A canola produziu 71,9 mil toneladas e o triticale, 68,1 mil toneladas.”

 Fonte: Portal Revista Globo Rural

Voltar
Top