27 outubro , 2014

É o que afirma o pecuarista João Milton Torres, de 42 anos. Desde cedo na pecuária, João Milton auxiliava seu pai na fazenda da família, no interior de Goiás, antes de migrarem para o norte do país – onde dedicaram-se também ao cultivo de arroz. Hoje, no estado do Pará, escolheu a cidade de Goianésia do Pará, conhecida como uma nova fronteira agrícola, para dar continuidade às atividades com o gado. E para tanto, João Milton não abre mão de corrigir os pastos com calcário dolomítico Caltins. “O uso do calcário é fundamental e indispensável. É o primeiro passo para recuperar o solo das pastagens”, reconhece o pecuarista que faz uso do corretivo desde a década de 80. “Depois de muito pesquisar, eu uso o calcário do Grupo J. Demito, Minerax, Caltins, Supercal e Natical, pela sua pureza e rigoroso controle de qualidade do Grupo”, revela.

Voltar
Top