16 Fevereiro , 2018

As cotações da soja tiveram na quinta-feira (15.02) um dia de leves baixas no mercado físico brasileiro, sem correspondência com as altas da Bolsa de Chicago (CBOT). De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, em média os preços desceram 0,11% nos portos e 0,37% no interior do País.

O analista da T&F, Luiz Fernando Pacheco, ressalta que é melhor o produtor observar o lucro do que o preço em si: “O lucro que se apresenta é um lucro real, que sobra depois de pagas todas as despesas, inclusive ‘aluguel’ da própria terra, depreciação de máquinas, salário do próprio agricultor, juros, etc. Leve-se em consideração que os outros setores da economia costumam ter lucros menores”.

O preço da soja no Rio Grande do Sul voltou a bater 77,00/saca no porto de Rio Grande para maio próximo, enquanto as cotações do disponível subiram para R$ 70,00 posto interior e R$ 75,50 em Rio Grande. No Paraná as cotações foram de R$ 68,00 posto Oeste do Estado no disponível e R$ 70,00 em Guarapuava e em Maringá e Londrina e R$ 75,00 no porto de Paranaguá, R$ 77,00 para maio.

No Mato Grosso do Sul, região de Dourados R$ 63,50, Maracaju R$ 62,50, Sidrolandia R$ 62,00, São Gabriel R$ 61,00, Chapadão R$ 61,00 preços bem acima dos praticados nos últimos dias. Uma das Tradings locais esteve muito agressiva.

“Neste momento, considerando os custos totais (o que significa que, se forem considerados somente os custos operacionais), estes percentuais são muito maiores. Os produtores do Paraná tem lucros ao redor de 28,5%, os de SC 27,72%, os de MG, 19,57%, os do MS 15,61%, os do RS 13,81% e os restantes 10,25% em média”, conclui Pacheco.

 

Fonte: AgroLink

Voltar
Top